Para te ajudar na noite de petiscos.

As 6 melhores harmonizações entre queijo e vinho

A mais clássica das harmonizações, que nasceu na França e faz grande sucesso entre os amantes de vinho ao ressaltar o que cada parte tem de melhor. Preparem-se para desvendar o intrigante universo da harmonização entre queijos e vinhos.

harmonização queijos e vinhos
Imagem: Reprodução/Giphy

Primeiramente, nada é tão complicado quanto parece. A regra básica é: para cada tipo de queijo há um tipo de vinho #SemErro. Sendo um pouco mais específico, a intenção é que nem a bebida e nem o alimento percam suas propriedades.

1 – Queijos duros -> Vinhos brancos leves, rosés e espumante

harmonização queijos e vinhos

Vinhos brancos leves e frutados pedem queijos igualmente suaves, como os de mofo branco, Feta ou Cotija e queijos meia-cura. Um Sauvignon Blanc ou Riesling, por exemplo, vão muito bem com qualquer um desses, mas a harmonização mais clássica neste caso é com queijo de cabra.

  • Fuja de: Vinhos tintos de médio ou bom corpo e vinhos de sobremesa. Do contrário, só sobrará o vinho e nadinha do queijo  🙁

2 – Queijos cremosos -> vinhos brancos secos, espumantes

queijo ricotta

Os brancos secos e espumantes já são mais versáteis e acompanham queijos com um pouco mais de gordura, como Ricota, Cream Cheese e o Cottage. Lembre-se da regrinha de ouro: quanto mais gordura, mais acidez o vinho deve ter.

3- Queijos de mofo branco -> vinhos brancos ou vinhos doces

queijo brie


É aquela mesma regrinha: quanto mais gordura, mais acidez o vinho deve ter. A acidez vai se encarregar de quebrar a gordura do queijo. Por isso aposte em
espumantes ou vinhos brancos de intensidade baixa ou média. Ou então, um clássico vinho de sobremesa.

4- Queijos de mofo azul -> vinhos doces

queijo gorgonzola

O contraste do salgado com o doce, mais o traço de caramelo dos queijos, resulta em uma das harmonizações mais clássicas do mundo dos vinhos e queijos, pode confiar! Para Gorgonzola e o Roquefort, aposte em um Sauternes ou Vinho do Porto.

Se vinho doce não for muito sua praia, pode apostar também em vinhos brancos aromáticos, como Gewurztraminer ou Riesling.

5- Queijos Semi-Maduros -> Tintos de média intensidade e brancos intensos

 

queijo emmental

Estamos falando de queijos como Gruyere, Comte, Provolone, Emmental. Aqui os tintos entram em cena, e fazem um ótimo par com esse tipo de queijo.  Espumantes e brancos aromáticos, leves e mais intensos também vão muito bem. A lista é grande, só escolher 😉

  • Fuja de: Tinto de alta intensidade e vinhos de sobremesa.

6- Queijos salgados e de massa firme -> Tintos de média intensidade

queijo parmeão

Tintos de média intensidade como Chianti e Sangiovese da Itália costumam ter um pouco mais de tanino e acidez alta, mas sem roubar o paladar e o sabor do queijo. Portanto se garantem no paladar com queijos mais salgados como o Parmesão, Grana Padano e Pecorino.   

Conclusão

Resumindo: vale investir numa combinação que permita que os níveis de acidez, taninos e açúcares do vinho ressaltem o sabor e a textura do queijo, e ao mesmo tempo, que o queijo realce todas as particularidades características da bebida.

Agora já dá para preparar aquela noite de queijos e vinhos, e, inclusive incluir umas frutas, e até geleias de sabores como frutas vermelhas ou pimenta (sim, pimenta!) para explorar novos sabores #SemBarreiras. E mais, se ainda estiver em dúvida do que servir em uma noite de queijos e vinhos, aposte em um bom espumante! Ele harmoniza bem com quase todos os tipos 🙂

Lembre-se: não é preciso seguir à risca cada regrinha. O importante é aproveitar bem uma bela noite de queijos e vinhos com bons exemplares de ambas as iguarias e brindar a esta, que é uma das mais deliciosas (e divertidas) combinações. Depois é só brindar. Tim Tim!