Um guia pelo mundo da harmonização.

Harmonização de vinho #SemSufoco: 10 dicas

 

Quer aprender mais sobre harmonização de vinhos? Então está no lugar certo. Vinho e comida permitem arriscar e descobrir novas e deliciosas combinações. No fim, o importante é ficar feliz #SemEnochatice.

Mas a gente também sabe que uma dica sempre cai bem, né? Para isso separamos 10 dicas para você mergulhar de vez nesse mundo.

1. Tente usar os mesmos adjetivos para o vinho e o prato.    

Se for possível coincidir os termos que definem cada um deles, é bastante provável que a combinação dê certo.

Exemplo: um Sauvignon Blanc leve vai bem com um peixe de sabor leve. Um Rioja Gran Reserva encorpado e saboroso pede uma carne que lhe faça jus, como um steak alto, encorpado e saboroso.

2. Para pratos apimentados, vá de brancos pouco alcoólicos.

Riesling, Pinot Gris ou Gewürztraminer com certo açúcar residual ajudam a suavizar a picância de pratos da culinária mexicana e tailandesa, por exemplo.

Uma outra dica é apostar na Syrah, que inclusive traz alguns aromas de especiarias, o que a faz uma bela companhia para pratos mais condimentados.

3. Tente usar definições contrárias para o vinho e o prato.   

Sim. A vida é feita de contradições mesmo. Em todo caso, veja como essa premissa também pode fazer sentido: um vinho de sobremesa como o Porto, que costuma ter altos índices de açúcar residual, portanto tende a nos proporcionar em boca a sensação de ser doce, tem como harmonização clássica queijos de mofo azul, que são bastante salgados.

Clique aqui para aprender mais sobre vinhos de sobremesa.

4. Se quiser cozinhar com legumes e verduras, adicione vinho à receita.

Vegetais são muito diversos, e essa explosão de sabores e texturas pode dificultar a harmonização, a não ser que haja um pouquinho de vinho no prato, o que ajuda a equilibrar os elementos.

5. Prefira os brancos para harmonizar com tábua de queijos.  

O ponto é: alguns queijos preferem vinhos brancos, e outros, tintos. No geral, a maioria vai bem com um branco seco, que une a acidez de um à cremosidade  do outro.

O principal ponto nessa harmonização é encontrar um vinho com boa acidez para cortar a cremosidade e gordura de cada queijo, e nisso o branco pode ajudar.

6) Atente-se para o molho, principalmente quando a carne tiver sabor mais suave.

Carnes de porco e brancas, principalmente as aves, frequentemente são preparadas com molhos à base de frutas, ervas ou outros temperos marcantes. Assim sendo, não são elas que dão o sabor primário à receita, e sim o molho. Portanto, não são elas que vão ditar a escolha do vinho, e sim o molho.

7. Você é fã de comida japonesa? Então vem #SemMedo nos brancos ou tintos leves

Sushi, Sashimi, Temaki de Salmão: sua boca salivou? Agora imagina com um bom vinho branco do lado. Aqui a única dica é fugir dos vinhos muito tânicos. Isso porque os taninos combinados com a gordura natural do peixe causam uma sensação metálica desagradável em boca.

Pinot Grigio, Chardonnay sem barrica – todos esses podem ser o par ideal quando o assunto é comida japonesa. E se você for fã de tintos, aposte em Pinot Noir ou Merlot.

8)  Sirva um vinho tânico e encorpado com carnes igualmente robustas.

Com a estrutura muscular da carne, os taninos tornam-se mais flexíveis. Eles ajudam a limpar o palato, varrendo as gorduras de sua língua e deixando-a pronta para a próxima garfada.

Além disso, o sal, que é ‘amigo’ no momento da harmonização e é natural da carne, amacia os taninos.

9)  Pratos versáteis combinam muito com a Tempranillo

Sabe aquela noite de petiscos – queijos, salaminho, amendoim: a Tempranillo faz muito bem seu papel nessas situações. Essa uva gera vinhos frutados e leves, muito fáceis de agradar. Por isso, serví-la nessas situações pode ser favorável.

10) Divirta-se.

Como já dissemos, as possibilidades são infinitas quando levamos em conta a diversidade de sabores, cores e humores que influenciam o preparo de uma receita ou a experiência de degustar um vinho. Arrisque-se, explore e verá: não há como o resultado ser qualquer coisa menos do que apetitoso.

Harmonização de vinhos: as regras você quem faz

E não se esqueça: o melhor de harmonizar é se divertir #SemRegras e encontrar o que te agrada!

Muitas vezes, o que é bom pra você, não é bom para outra pessoa. E tudo bem. Siga nossa dicas, e vá encontrando combinações que te agradam. O mundo do vinho é feito disso!

Imagem: Reprodução/Giphy

E aí, o que achou das dicas? Conta pra gente aqui nos comentários qual a combinação mais inusitada que você já fez.