Vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais: entenda a diferença

Hoje em dia, os debates relacionados ao meio ambiente e sustentabilidade são cada vez mais recorrentes e necessários. Nesse cenário, aparecem novas palavrinhas na rotina dos entusiastas de vinho, entre elas: orgânicos, biodinâmicos e naturais.

Você já ouviu falar dessas nomenclaturas? Se sim, você sabe a diferença entre elas? Apesar de similares, essas três palavras têm significados diferentes, e hoje nós vamos te explicar cada um deles. Vem com a gente! 😉

O QUE SÃO VINHOS ORGÂNICOS?

Resumidamente, vinhos certificados como orgânicos são aqueles que não utilizam em sua produção nenhum tipo de agrotóxicos ou outros defensivos agrícolas, como pesticidas, fungicidas, fertilizantes, entre outros.

É importante ressaltar que, nesse modelo, os defensivos não são utilizados de forma química, mas podem vir a ser utilizados caso sejam orgânicos. Um exemplo dessa prática é a aplicação do adubo orgânico, que pode agir como um fertilizante, ou a disposição de plantas entre as videiras, que devem estimular a diversidade e a saúde do solo.

Além disso, você sabia que esse processo de vinificação não é muito diferente dos convencionais? Acontece que os enólogos precisam garantir que os cultivos ocorram de forma orgânica, buscando um equilíbrio entre a biodiversidade presente em seus vinhedos, além de trabalhar para evitar e o surgimento de pragas ou qualquer outro tipo de ameaça às vinhas. Assim, toda a cadeia de produção desses líquidos é sustentável, não utilizando nenhum tipo de composto químico para aumentar a rentabilidade ou a qualidade das bebidas.

Um produtor pode levar, em média, cerca de três anos para converter a sua produção convencional em orgânica, além de que nem todos os vinhos orgânicos são, necessariamente, certificados – isso é uma escolha do produtor.

Os americanos foram os pioneiros nessa técnica, que já se espalhou pelo mundo e é praticada em outros países. Outra motivação que leva os produtores a aderirem o cultivo orgânico é fazer com que seus clientes não venham a ingerir nenhum resíduo de pesticida por meio da bebida.

Um exemplo claro de vinícola que segue à risca a técnica do cultivo orgânico é a espanhola Petit Verum, que acaba de chegar aqui na Evino com três rótulos que carregam uvas típicas do país: Tempranillo, Garnacha e a branca Verdejo. 

vinhos organicos petit verum

*Sujeito à alteração de estoque. 

Com mais de dois séculos de história, a vinícola trabalha com foco em princípios que são passados de geração em geração desde o início de suas atividades. Esses princípios são: tradição, família, respeito ao meio ambiente e a vinha, e por último, mas não menos importante, a paixão pelo vinho – e, para mostrar isso, eles sempre usam a expressão “Verum é a verdade da terra, da família e do vinho”.

O QUE SÃO VINHOS BIODINÂMICOS?

Os vinhos biodinâmicos são aqueles que se utilizam da Antroposofia em seu cultivo, ou seja, o “conhecimento do ser humano” – ou técnicas ancestrais aplicadas –, tanto no cultivo das uvas quanto no funcionamento da própria vinícola. Essa filosofia foi estudada por Rudolf Steiner (1861 – 1925), que enxergava o vinhedo como um sistema vivo, interconectado e interdependente. 

Vinhos biodinâmicos também são orgânicos, viu? A diferença entre eles é que, neste modelo, além de não usar nenhum tipo de composto químico na elaboração do vinho, a agricultura aproveita inteiramente de elementos que a natureza proporciona, como o uso de preparações à base de nove ervas e minerais, chás para auxiliar na mineralização do solo ou o engarrafamento seguindo os ciclos lunares.

O QUE SÃO VINHOS NATURAIS?

Dentre os três, os vinhos naturais são os mais complexos de classificar, uma vez que não existe, de fato, algum tipo de norma ou regulamentação para essa agricultura. Sendo assim, diversos produtores acabam definindo esse cultivo de forma diferente.

Via de regra, os vinhos naturais podem ser considerados aqueles que fazem a fermentação de forma espontânea. Também não são adicionados nenhum artifício químico que corrija a acidez ou taninos presentes no vinho, ou seja, vinhos naturais também são orgânicos e podem ser biodinâmicos, caso utilizem as técnicas citadas anteriormente em sua produção.

Geralmente, a proposta dos vinhos naturais, além de promover a saúde e o cuidado com o produto final, é manter as características naturais da uva, resultando em líquidos puros. Também é importante ressaltar que a produção de vinhos naturais conta com pouca ou quase nenhuma intervenção do enólogo, ou seja, nessa escala de produção, ele auxilia com um acompanhamento do processo.

“O resultado é um vinho vivo – saudável e cheio de microbiologia que ocorre naturalmente.” – Jessica Marinzeck, Sommelière eleita em 2019 como um dos 50 nomes para o futuro do mundo do vinho pelas instituições Wine & Spirits Education Trust e International Wine & Spirit Competition

BENEFÍCIOS DESSES TIPOS DE VINHO

No fim das contas, nenhum dos modelos citados são necessariamente melhores que os convencionais, ok? Isso quem decide é o próprio consumidor, que tem seus gostos e preferências! 😉 

De qualquer forma, se você está em busca de experimentar coisas novas e ampliar ainda mais o seu leque de sabores e aromas, vinhos do tipo são uma boa pedida. Saiba alguns benefícios do consumo dessas variedades:

  • Promovem a saúde
  • Não possuem aditivos sintéticos
  • Possibilidade de apreciar novos sabores e aromas
  • Promovem o cuidado com o meio ambiente e a sustentabilidade

Agora que você já sabe mais sobre cada tipo de vinho, que tal abastecer a sua adega com algum deles? Aproveite o cupom DICASBLOG para ter 10% de desconto na sua primeira compra no meu app! 😀