Neste guia, separamos tudo o que você precisa saber sobre a uva Merlot

Vinho Merlot características: Saiba tudo sobre a uva francesa que conquistou o mundo

Merlot, assim como Cabernet Sauvignon, Malbec e outras várias uvas que amamos, está na lista daquelas que se popularizaram na França e posteriormente ganharam o mundo! 

Hoje vamos te contar tudo sobre essa casta que, dos vinhos de Bordeaux à Serra Gaúcha, conquista cada vez mais as taças dos entusiastas de vinho, sejam os novos ou amantes de longa data. Vem com a gente!

A UVA MERLOT

Cada vez mais presente nas adegas do Brasil e do mundo, Merlot é uma uva tinta que, de  modo geral, possui cachos com tamanhos médios, colocação azul profunda que pode ter reflexos violáceos e ele bastante fina, além de ser aromática e delicada.

cachos da uva Merlot dentro de um cesto de vime

Cachos da uva Merlot

Só de vê-la já bate uma vontade de comer alguns frutos, não é mesmo? Pois pegue sua taça e descubra com a gente como essa uva se tornou tão famosa entre os entusiastas de vinho. Vamos lá?

ORIGEM E HISTÓRIA DA UVA MERLOT

Afinal, qual a origem da uva Merlot? De acordo com os especialistas que estudam uvas e suas respectivas videiras, chamados de ampelógrafos, a uva Merlot, assim como suas irmãs Carménère e Cabernet Sauvignon, descendem de uma outra uva muito famosa, a Cabernet Franc.

Mais especificamente, o cruzamento que teria dado origem à uva que é o tema do nosso artigo de hoje é entre as castas Cabernet Franc e Magdeleine Noire des Charentes.

Apesar do sucesso que começou a fazer por volta da década de 1980, os registros de cultivo da Merlot são bem mais antigos, datados no século XVIII, no ano de 1784, na região de Bordeaux. Estudos indicam que, assim como outras variedades de uvas viníferas, ela teria vindo do Oriente Médio para a França nessa época, e não demorou até que conquistasse outros países europeus.  

Em 1855, Merlot já aparece entre os registros das uvas tintas cultivadas na Itália, com o nome de Bordò, e pouco tempo depois já havia aparecido também na Suíça. Já no século XIX, foi muito cultivada na célebre região de Médoc, que fica à margem esquerda do rio Gironde. 

O grande sucesso da Merlot vem durante o século XX, principalmente entre 1980 e 1990, quando a uva adentra os países do Novo Mundo e se torna, inclusive, uma uva extremamente popular nos Estados Unidos. 

Um dos fatores que contribuíram para a fama da queridinha Merlot foi a adaptação fácil aos mais diversos climas e solos. Quando o assunto é o Novo Mundo, o Brasil se destaca cada vez mais no cultivo desde a década de 1970, tanto que a uva é conhecida como uma das mais bem sucedidas da Serra Gaúcha – inclusive, há quem diga que ela deveria ser o símbolo dessa região produtora ou até mesmo do país.

Atualmente, também é possível encontrar vinhedos de Merlot espalhados pelo mundo inteiro, contando com países como Israel, Romênia, México, Califórnia, Nova Zelândia, Suíça, África do Sul, Canadá, Chile, Uruguai e Argentina.

POR TRÁS DO NOME

Apesar da origem controversa, muitas pessoas acreditam que o nome da uva, que possui coloração escura quando madura, faz jus às penas do pássaro Merle também conhecido como Melro-preto.

Pássaro Merle em cima de um tronco de árvore

Pássaro Merle

Além da associação da cor dos cachos maduros da uva com a ave, a Merlot é uma das frutas favoritas do pássaro, principalmente quando passa um pouco do ponto de amadurecimento e concentra mais açúcar. 

Essa situação faz com que a ave possa se tornar uma praga para os viticultores, já que é muito comum em diversos vinhedos, principalmente na Europa, no norte africano e no Oriente Médio. 

Sendo assim, “Merlot” seria um diminutivo de “Merle”. E a uva também é conhecida mundo afora por nomes como Merlau, Plant Médoc, Sémillon Rouge, Béguey, Picard, Alicante e Crabutet Noir.

HARMONIZAÇÃO DO VINHO MERLOT

Chegamos em uma das nossas partes favoritas: a harmonização! Você sabe o que combina com vinho Merlot? Vamos descobrir:

Como não está em nenhum extremo de acidez, taninos ou doçura, os vinhos Merlot são considerados mais versáteis e ecléticos, podendo acompanhar uma variedade de refeições significativa.

Os vinhos 100% Merlot combinam bem com carnes magras, sejam elas brancas ou vermelhas. Os queijos que combinam com Merlot são os maturados, como cheddar, parmesão, pecorino suíço, edam, manchego, entre outros. Além disso, massas ou risotos à base de molho de tomate também são uma ótima pedida!

Nos blends como os de Bordeaux, que utilizam Cabernet Sauvignon, as carnes vermelhas mais gordurosas deixam a degustação ainda melhor – é uma excelente pedida para acompanhar um churrasco ou até mesmo hambúrguer

Outras sugestões de harmonização do vinho Merlot:

  • Pizzas ou panquecas
  • Pratos à base de frango
  • Presunto cru
  • Pratos da comida árabe
  • Salame
  • Carne assada

CARACTERÍSTICAS DO VINHO MERLOT

De maneira geral, os vinhos feitos a partir da uva Merlot costumam ter uma cor vibrante, muita fruta em evidência, textura macia e sabor muito rico. Porém, quando falamos de vinho, é é importante ter em mente que tudo isso pode variar bastante a depender do terroir onde o cultivo é feito, o estilo e intenções do enólogo, entre outros fatores que vamos entender melhor frutados, taninos mais maduros, um bom corpo e níveis alcoólicos mais altos.

Os outros, ao contrário, acreditam que a casta deve ser colhida mais jovem ou no seu ponto ideal de maturação, que geralmente acontece mais cedo em comparação com outras uvas. Isso resultaria em vinhos com o corpo médio e o nível de álcool mais baixo, uma acidez mais marcante e aromas de frutas vermelhas maduras mais intensos.  

IMPORTANTE: devemos ressaltar que um estilo de produção não é melhor do que o outro. Acontece que essas correntes foram criadas como uma maneira de encontrar o melhor momento para a colheita da Merlot. No fim das contas, o melhor vinho é aquele que melhor atende às suas necessidades, seja um vinho para acompanhar uma tábua de queijos ou aperitivos, para surpreender em um jantar especial, apostar nas harmonizações com a família ou simplesmente relaxar no dia a dia. Com toda a versatilidade e estilos de vinhos Merlot, temos certeza que você pode encontrar um que se adapte perfeitamente para cada uma dessas ocasiões!  

Por conta dessas correntes, que defendem diferentes maneiras de manusear as uvas, os principais estilos dos vinhos Merlot se dividem no que seria uma espécie de Padrão Internacional e Padrão Francês. Confira:

PADRÃO INTERNACIONAL

O Padrão internacional é utilizado por aqueles que defendem que a uva pode ser colhida tardiamente. Ele é denominado dessa forma pois, de um modo geral, estamos nos referindo ao cultivo de Merlot fora da Europa, ou seja, a colheita tardia é mais comum no Novo Mundo. 

Os vinhos elaborados dessa forma possuem como características principais:

  • Aromas intensos
  • Nitidamente frutada, remetendo a frutas negras maduras, como ameixas e mirtilos
  • Taninos mais macios e maduros
  • Menor acidez

PADRÃO FRANCÊS

A França é um dos países que lidera o cultivo dessa uva, com cerca de dois terços da produção mundial. Em seguida, temos países como Estados Unidos, Espanha, Itália, Chile, Austrália e até mesmo o Brasilagora.

ESTILO DE PRODUÇÃO

Como já comentamos aqui, a Merlot é uma uva que está presente em muitos lugares no mundo, sendo assim, sujeita a ser exposta às mais diversas condições climáticas e solos. Essa situação acaba gerando uma discussão que gira em torno de seu cultivo, maturação e colheita.   

Alguns enólogos acreditam que essa variedade deve ser colhida o mais tarde possível, porque dessa forma ela conservará mais os açúcares da fruta e terá uma maturação mais concentrada. Essa colheita tardia também daria a uva uma intensidade de cor, maior concentração de aromas .

A região de Bordeaux, com mais da metade de seus vinhedos destinados a Merlot, é a principal produtora dentro da França. À margem direita, a uva também se faz presente nas plantações de St. Émilion e Pomerol.

Aqui, os produtores preferem a colheita no que chamam de “momento ideal”, ou seja, sem deixar que a uva fique madura demais, além dessa ser uma forma de proteger as plantações das chuvas de verão. As características deste vinho são: 

  • Aromas delicados
  • Frutado, porém evidenciando frutas frescas e mais ácidas, como morango ou framboesas
  • Taninos firmes
  • Acidez marcante, porém não agressiva

Como se não bastassem as diferenças entre o Padrão Internacional e o Padrão Francês, especialistas comentam que outro fator que influencia diretamente o resultado final do vinho são as regiões onde são elaborados, especificamente se é uma área mais quente ou mais fria.

Acontece que nas regiões mais frias, como França, Itália e Chile, os vinhos são mais estruturados, com taninos mais presentes e com aromas de tabaco. Agora, os vinhos de regiões mais quentes, como a Califórnia, Austrália e Argentina, são mais frutados e com taninos mais delicados.

Outro diferencial entre os rótulos são os seus teores alcoólicos: em regiões mais frias, o percentual fica em torno de 13,5%, enquanto nas regiões mais quentes, os vinhos tendem a originar um percentual mais elevado, que pode ficar em torno de 14,5%.

BLEND OU VARIETAL?

Dentre tantos estilos de vinho Merlot, surge uma outra dúvida: apostar nos blends (ou cortes), ou seja, na Merlot em conjunto com outras uvas, ou nos varietais, que são os vinhos exclusivamente feitos dessa uva?

Para falar a verdade, a nossa sugestão é degustar os mais diversos rótulos, tanto para aumentar e diversificar o seu repertório de vinhos, quanto para entender melhor quais sabores e aromas você prefere, quais vinhos de Merlot combinam com o seu estilo de comida preferido, e assim por diante. Aqui, vamos comentar como a protagonista do nosso artigo se expressa em ambas as situações, veja só:

Tanto nos cortes quanto nos vinhos em que a Merlot toma conta de toda a garrafa, uma característica muito marcante são os toques frutados e textura aveludada. 

Em geral, os varietais são ditos como mais macios e fáceis de beber. Nos blends, em especial quando levam a Cabernet Sauvignon e a Tannat, Merlot se destaca por dar ao líquido um toque de delicadeza, enquanto as outras uvas são responsáveis por trazer mais estrutura à bebida. Essa delicadeza torna propícia e mais comum a mistura da Merlot com a Cabernet Sauvignon, que possui uma casca mais grossa e taninos mais presentes, como acontecem nos adorados vinhos de Bordeaux.   

Outro fator importante para ter em mente é o uso de barris de carvalho: quando amadurecida em barricas, a Merlot se mostra ainda mais redonda e macia, e se destacam os sabores e aromas que remetem a café, baunilha, chocolate e até especiarias. 

MERLOT E CABERNET SAUVIGNON: AS UVAS DA REALEZA

Como citamos há pouco, Merlot costuma aparecer bastante em conjunto com a sua meia-irmã Cabernet. Com fama de “rainha das uvas tintas”, a Cabernet Sauvignon foi e ainda é uma das uvas mais cultivadas e adoradas no mundo, porém, com o passar do tempo, Merlot também aparece como preferida, participando da realeza de maneira mais igualada. E você, sabe o que essas duas queridinhas do mundo do vinho têm em comum?

Ambas as uvas são utilizadas para elaborar um dos vinhos de corte mais famosos no mundo inteiro: o bordalês, um típico vinho regional que remonta toda a tradição, a paixão e a cultura do vinho que está presente na França há muitos séculos. A força e a capacidade de envelhecimento trazidas pela Cabernet se unem em harmonia com o equilíbrio e a textura que a Merlot entrega, originando essa bebida única.

Um fato curioso sobre a união entre Merlot e Cabernet no corte bordalês é que os produtores também optam pelo uso das uvas por conta da variação climática da região. Acontece que, como ambas amadurecem em tempos diferentes, os produtores estão mais seguros trabalhando com as duas variedades, que podem aparecer em diferentes quantidades no vinho caso aconteça algum imprevisto com as plantações, por exemplo.

Um dos fatores de diferença entre essas uvas da realeza são a concentração. Cabernet tem uma característica tânica mais intensa, consequentemente deixando aquela sensação de “língua travada”, que remete ao que você sentiria caso mordesse uma banana ainda verde, por exemplo. Merlot se mostra mais macia no paladar, deixando uma sensação de “língua aveludada”, que costuma ser mais agradável aos que preferem que os taninos sejam menos presentes. 

No que diz respeito a cor, as uvas também têm suas singularidades: enquanto a Merlot tende a apresentar uma coloração mais violácea, ou seja, mais próxima do roxo, os exemplares de Cabernet se mostraram mais avermelhados, com mais nuances de rubi.

O VINHO MERLOT MUNDO AFORA

VELHO MUNDO

Além da França, a Merlot é uma uva amplamente cultivada na Itália, onde faz parte de cortes nas regiões da Sicília e do Friulli. Na Toscana, essa variedade auxilia na elaboração de um dos rótulos mais famosos do país: os Supertoscanos

Nos Supertoscanos, a Merlot é combinada com a uva considerada uma joia italiana, a Sangiovese, com a finalidade de equilibrar a acidez e os níveis de taninos do vinho. No país, também é comum que ela participe de outros blends, com castas como Syrah. 

Na região de Setúbal, em Portugal, os vinhos 100% Merlot são muito apreciados, uma vez que continuam com ótima qualidade mesmo depois de um bom tempo de guarda. 

Em seu país de origem, a França, a região de Bordeaux domina a produção, e locais como Languedoc-Roussillon também tem aumentado o seu cultivo nos últimos anos.

Enquanto em Bordeaux os vinhos tintos são compostos por aproximadamente ⅔ de Merlot, na margem direito do Rio Gironde, especificamente em Pomerol e de Saint-Émillion, essa variedade representa quase que a totalidade do corte.

Para saborear a versão francesa da Merlot, sugerimos Comte d’Aquitaine, vinho elaborado na região de Bergerac e que possui cerca de 4 anos de safra

Garrafa de vinho Comte d’Aquitaine

*Garrafa de vinho Comte d’Aquitaine. Sujeito a alteração de estoque.

NOVO MUNDO

Merlot é uma uva que se destaca muito nos Estados Unidos, especialmente nos estados da Virgínia e da Califórnia – que tem destaque mundial desde a década de 1980. 

Os vinhos Merlot chileno também fazem muito sucesso, principalmente pelo país ser outro grande produtor de vinhos feitos com essa uva. Dentre as diversas regiões chilenas e sua privilegiada condição climática o Valle del Aconcagua se mostra como um dos locais mais ideais para o cultivo dessa casta. 

A nossa sugestão para apreciar a Merlot no Novo Mundo é a através de uma novidade da renomada vinícola Concha y Toro, com a linha Marques de Casa Concha.

Vinho Concha Y Toro - Marques de Casa Concha

*Vinho Concha Y Toro – Marques de Casa Concha. Sujeito a alteração de estoque.

BRASIL

Em nosso país, o Rio Grande do Sul tem grande destaque no cultivo da Merlot, que pela boa adaptabilidade ao solo e clima, além da expertise da região, que provém em sua maioria da Itália.

Mesmo disputando com outras castas tintas, Merlot é uma das mais plantadas na região, onde muitas pessoas acreditam que deveria ganhar o destaque de uva símbolo da vitivinicultura local. Na Serra Gaúcha, é adotado o Padrão Francês para o cultivo da casta, o que resulta em exemplares de vinhos tintos mais frescos, frutados e com taninos acentuados. Diversas vinícolas brasileiras também usam a Merlot para elaborar espumantes. 

Um fato importante é que, no Vale dos Vinhedos, a Merlot pode produzir vinhos com determinadas regras de produção, uma vez que possui um selo de Denominação de Origem, que certifica a qualidade e a tipicidade dos vinhos locais.

 

Agora que você já sabe tudo sobre a uva Merlot, aproveite para escolher uma expressão da que é a sua cara no EvinoAPP ou no nosso site. Um brinde! 😉